"Embaixador da Música Portuguesa"

Público (PT)





Notícias


01.08.2022

Temporada 2022-2023

As primeiras novidades da temporada 2022-2023 já estão disponíveis na Agenda e incluem concertos sinfónicos, ópera e bailado, com estreias absolutas e regressos a importantes orquestras na Alemanha, em Portugal, no México e no Brasil.

01.06.2022

Novo CD dedicado a Fernando Lopes-Graça com a Orquestra Sinfónica Portuguesa

O selo discográfico Naxos lança em Junho de 2022 um novo CD inteiramente dedicado ao compositor português Fernando Lopes-Graça com a Orquestra Sinfónica Portuguesa dirigida por Bruno Borralhinho. Este novo trabalho discográfico inclui a primeira gravação absoluta dos "Cinco Velhos Romances Portugueses".

Naxos
Vídeo promocional
25.05.2022

Ópera de Maurice Ravel e bailado de Manuel de Falla no regresso a Lisboa em Novembro

Bruno Borralhinho dirige "L'heure espagnole" de M. Ravel e "El sobrero de tres picos" de M. de Falla no Centro de Cultural de Belém, uma produção encenada por Jorge Balça que contará com a participação de alguns dos mais destacados cantores portugueses da atualidade e da Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo.


19.04.2022

Novas publicações na editora suíça Kunzelmann

A prestigiada editora lançou recentemente as versões para orquestra das obras "Souvenir de Florence" de Tchaikovsky, "Italienische Serade" de H. Wolf e as versões para orquestra de câmara das obras "El sombrero de tres picos" de M. de Falla e "Suite aus Le Bourgeois gentilhomme" de Lully, todas da autoria de Bruno Borralhinho. Recorde-se que a mesma editora já tinha publicado outros arranjos de Borralhinho de obras de Mozart, Grieg, Albéniz e Mahler.

Edition Kunzelmann - Bruno Borralhinho
15.03.2021

Coluna mensal na Da Capo

Tema & Variações é o título da coluna mensal e bilíngue da autoria de Bruno Borralhinho na revista musical Da Capo. Dedicada a assuntos do mundo musical de "abundante subjetividade e, por vezes, pouco isentos de polémica", tem como público-alvo os próprios músicos, mas também os melómanos em geral e conta com participações exclusivas de personalidades tão ilustres como Antônio Meneses, Emmanuel Pahud, Ton Koopman, Norman Lebrecht, Tabea Zimmermann, Barbara Hannigan, Alina Pogostkina, Sofia Gubaidulina, Jordi Savall ou René Pape:

n. 1 Mar/21 | n. 2 Abr/21 | n. 3 Mai/21 | n. 4 Jun/21 | n. 5 Jul/21 | n. 6 Ago/21 | n. 7 Set/21 | n. 8 Out/21 | n. 9 Nov/21 | n. 10 Dez/21 | n. 11 Jan/22 | n. 12 Fev/22 | n. 13 Mar/22
09.03.2021

Novo livro já à venda!

A partir da observação de casos concretos de instituições, pessoas ou acontecimentos considerados representativos e exemplares da dinâmica interrelacional, o livro Poder y Música Clásica en el Portugal del siglo XX realiza uma contextualização do setor musical nos diferentes âmbitos históricos e políticos em Portugal ao longo do século passado. Escrito em espanhol e disponível em formato físico ou ebook, o novo livro de Bruno Borralhinho é considerado pelo musicólogo e autor Mário Vieira de Carvalho "doravante uma referência incontornável".

Comprar

Biografia


O maestro e violoncelista português Bruno Borralhinho é diretor artístico do Ensemble Mediterrain e membro da Orquestra Filarmónica de Dresden.

Para além das frequentes apresentações como maestro à frente do seu Ensemble Mediterrain (DE), dirigiu a Orquestra Sinfónica Portuguesa, a Orquestra de Câmara Portuguesa, a Orquestra Clássica do Sul, a Orquestra Clássica da Madeira, a Orquestra Clássica do Centro, a Filharmonie Bohuslava Martinu (CZ), a Orquesta de Cámara de Bellas Artes (MX), a Orquestra Sinfônica do Paraná (BR), a Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas (BR), a Deutsches Kammerorchester Berlin (DE), a Berliner Symphoniker (DE) e a Orquestra Filarmónica de Dresden (DE), e colaborou com solistas de prestígio internacional como Camilla Nylund, Tara Erraught, Sarah Maria Sun, Karolina Gumos, Adriane Queiroz, Lothar Odinius, Peter Bruns ou Javier Perianes.

Em 2022, a editora NAXOS lançou um CD inteiramente dedicado ao compositor Fernando Lopes-Graça, interpretado pela Orquestra Sinfónica Portuguesa dirigida por Bruno Borralhinho. Em 2018 Borralhinho gravou as sonatas de R. Strauss e Zemlinsky assim como canções de Mahler com o pianista Christoph Berner para a selo discográfico alemão ARS e, em 2016, a NAXOS lançou um CD dedicado à música portuguesa para violoncelo e orquestra, com Bruno Borralhinho como solista acompanhando pela Orquestra Gulbenkian (dir. Pedro Neves). Este álbum foi classificado como o melhor de 2016 por votantes de mais de 65 países nos 5 continentes do planeta, após votação pública internacional patrocinada pela The Violoncelo Foundation (Nova York/EUA). Em 2009 Bruno Borralhinho lançou o CD duplo "Pagina Esquecida", também inteiramente dedicado à música portuguesa, recebendo as melhores críticas na imprensa nacional e internacional.

Em 2011 concluiu um Master de Gestão Cultural na Universitat Oberta de Catalunya (Barcelona) e no mesmo ano foi um dos convidados do Atelier for Young Festival Managers em Izmir (Turquia), organizado pela EFA - European Festivals Association. Obteve o grau de Doutor em Humanidades -História, Geografia e Arte- na Universidad Carlos III (Madrid) em 2020. A sua investigação e tese tiveram como tema as relações entre o poder e o campo da música erudita -dita "clássica"- em Portugal ao longo do século XX.

Nasceu na Covilhã, onde estudou na Escola Profissional de Artes da Beira Interior com o Prof. Luis Sá Pessoa (1995-2000) e com o Prof. Rogério Peixinho (1994-1995). Estudou entre 2000 e 2006 com o Prof. Markus Nyikos na Universität der Künste de Berlim, onde concluiu a Licenciatura e a Pós-Graduação (Solista) com as máximas classificações e, posteriormente, complementou a sua formação em Oslo com o violoncelista norueguês Truls Mørk (2006-2007). Bruno Borralhinho frequentou também Masterclasses com Natalia Gutman, Antonio Meneses, Pieter Wispelwey, Anner Bylsma, Jian Wang, Martin Ostertag, Martin Löhr, Márcio Carneiro e Thomas Demenga, e foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian entre 2001 e 2005.

Apresenta-se regularmente como solista com orquestra, em recitais a solo, com piano e de música de câmara, sendo importante destacar a interpretação integral das Suites para Violoncelo Solo de J. S. Bach com o violoncelo Montagnana que pertenceu a Guilhermina Suggia (2008), a integral da obra de Beethoven para violoncelo e piano com o Stradivari que pertenceu ao Rei D. Luís (2012) e a integral dos concertos de Haydn (2014, solista e direção). Orientou até ao presente Masterclasses em Portugal, Espanha e Brasil.

Obteve o 1.º Prémio no Concurso de Instrumentos de Arco Júlio Cardona em 1999 e o 1.º lugar no Prémio Jovens Músicos, organizado pela RDP - Radio Difusão Portuguesa em 2001. Enquanto solista tocou acompanhado pela Orquestra Gulbenkian, Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra do Norte, Orquestra Clássica do Centro, Orquestra de Câmara Portuguesa, Orquestra Clássica do Sul, Orquestra Clássica da Madeira, Orquestra XXI, Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas e Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro de Brasília.

Bruno Borralhinho integrou a Orquestra de Jovens Gustav Mahler e a Orquestra Mundial das Juventudes Musicais, tendo ocupado o lugar de 1.º Violoncelo-Solista nesta última. Foi ainda membro da Academia da Staatskapelle Berlin entre 2004 e 2006, orquestra residente da Ópera Estatal de Berlim, e estagiário na DSO - Deutsches Symphonie Orchester Berlin em 2003.

Ao longo da sua carreira, tocou em algumas das mais importantes salas de concerto por toda a Europa, Rússia, Estados Unidos, Canadá, Coreia do Sul, Japão e América do Sul, e trabalhou igualmente com conceituados maestros como Claudio Abbado, Daniel Barenboim, Franz Welser-Möst, Kurt Masur, Kent Nagano, Herbert Blomstedt, Christoph Eschenbach, Paavo Järvi e Andris Nelsons.

Multimédia


"Poder y Música Clásica
en el Portugal del siglo XX"

Autor: Bruno Borralhinho
Lançamento: Março de 2021
Idioma: Espanhol
Formato: Livro/eBook
Editora: Universo de Letras (Grupo Planeta)


Os diferentes regimes políticos em vigor em Portugal no século XX –Monarquia, Primeira República, Ditadura e Democracia– representaram mudanças determinantes na sociedade e nos processos sociocomunicativos em geral. O campo da música clássica não foi alheio a essas transformações e transições mais ou menos pacíficas e complexas. A partir da observação de casos concretos de instituições, pessoas ou acontecimentos considerados representativos e exemplares da dinâmica interrelacional, este trabalho realiza uma contextualização do setor musical nos diferentes âmbitos históricos e políticos do país ao longo do século passado.

COMPRAR

Discografia


Fernando Lopes-Graça



Orquestra Sinfónica Portuguesa
Bruno Borralhinho, direção musical
NAXOS
  • Fernando Lopes-Graça, um dos maiores compositores portugueses do século XX, teve como credo artístico a junção da música folclórica do seu país com técnicas modernas, com o objetivo de criar uma identidade musical nacional alternativa e original. O contexto tonal em constante mudança do "Divertimento" captura perfeitamente o estilo inimitável de Lopes-Graça, enriquecido numa "Sinfonieta" sucintamente construída pela sua admiração por Haydn. Os comoventes, até trágicos, "Cinco Velhos Romances Portugueses" baseiam-se em baladas tradicionais, enquanto as exigentes "Quatro Invenções" exploram o que o compositor chama de “expressionismo dramático essencialmente atonal”.

R. Strauss, Mahler
& Zemlinksy



Bruno Borralhinho, violoncelo
Christoph Berner, piano
ARS PRODUKTION
  • As sonatas de Strauss e Zemlinsky fazem parte do núcleo essencial do repertório para violoncelo. A transcrição inédita de Borralhinho de canções de Mahler, por seu lado, vem estabelecer um elo tentador entre o compositor e o instrumento, assim como, no caso concreto desta construção programática, uma ligação histórica e musical entre os três compositores.

Música Portuguesa para Violoncelo e Orquestra



Bruno Borralhinho, solista
Orquestra Gulbenkian, Pedro Neves (dir.)
NAXOS
  • Pela primeira vez, alguns dos principais compositores portugueses -Luiz Costa, Luís de Freitas Branco, Fernando Lopes-Graça e Joly Braga Santos- reunidos numa gravação exclusivamente dedicada ao repertório para violoncelo e orquestra. Este trabalho tem recebido as melhores críticas em Portugal e no estrangeiro, assim como um prémio internacional.

CD Duplo
"Página Esquecida"



Bruno Borralhinho, violoncelo
Luísa Tender, piano
DREYER & GAIDO
  • Inteiramente dedicado à música portuguesa para violoncelo a solo e com piano, este CD duplo tem como objetivo principal a divulgação do repertório a nível nacional e internacional.
    A melhor música portuguesa para esta instrumentação como fruto de um projeto de estímulo à interpretação da música portuguesa em geral.

Ensemble Mediterrain
Albéniz & Beethoven



Ensemble Mediterrain
DREYER & GAIDO
  • Dedicado ao compositor espanhol Isaac Albéniz, a propósito do 100º Aniversário da sua morte, este trabalho inclui a estreia mundial da versão para ensemble da famosa "Suite Española op.47", da autoria de Bruno Borralhinho, para além um "clássico" em todos os sentidos da palavra: o Septeto op. 20 de Ludwig van Beethoven.

Trio Mediterrain: Música contemporânea portuguesa



Trio Mediterrain
CCR - CLASSIC CONCERT RECORDS
  • Idealizado e desenvolvido sob absoluta responsabilidade do Trio Mediterrain, este projeto consiste na gravação de 4 obras originais dedicadas ao próprio grupo por alguns dos compositores portugueses mais destacados da atualidade: João Pedro Oliveira, Nuno Côrte-Real, Vasco Mendonça e Sérgio Azevedo.

Agenda


Calendário de concertos como maestro, solista e músico de câmara.
A agenda de concertos com a Orquestra Filarmónica de Dresden pode ser consultada AQUI.

26.08.2022

Webermuseum, Hosterwitz (DE)

Ensemble Mediterrain
Debussy, Franck.

13.10.2022

Palacio de Bellas Artes, Cidade do México (MX)

Maestro, Orquesta de Cámara de Bellas Artes
Haydn, Schubert.

16.10.2022

Auditorio Silvestre Revueltas, Cidade do México (MX)

Maestro, Orquesta de Cámara de Bellas Artes
Haydn, Schubert.

20.11.2022

Centro Cultural de Belém, Lisboa (PT)

Maestro, Ensemble Mediterrain - Solistas - Companhia Nacional de Bailado Contemporâneo
Ravel: L'heure espagnole
Falla: El sombrero de tres picos


08.01.2023

Kulturpalast, Dresden (DE)

Maestro, Dresdner Philharmonie
Nicolas Namoradze, piano

R. Strauss, Henze.

10.02.2023

Teatro Nacional de São Carlos, Lisboa (PT)

Maestro, Orquesta Sinfónica Portuguesa
Beethoven.

12.03.2023

Picadeiro Real, Lisboa (PT)

Maestro, Orquesta Metropolitana de Lisboa
Haydn, Faria Gomes.

29.04.2023

Kulturpalast, Dresden (DE)

Maestro, Dresdner Philharmonie
Purcell, Britten.


07.05.2023

Weinbergkirche, Pillnitz (DE)

Solo
J.S. Bach: Integral das Suites para Violoncelo Solo

11.06.2023

Meisterwerke/Meisterinterpreten, Dresden (DE)

Ensemble Mediterrain
Respighi, Rota, Verdi.

19.06.2023

Kulturpalast, Dresden (DE)

Maestro, Junges Sinfonieorchester Dresden
Bruch, Tchaikovsky, Lopes-Graça, Elgar.

07.07.2023

Casa da Música, Porto (PT)

Maestro, Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música
Konstanze Pietschmann, violoncelo

Lopes-Graça, Shostakovich, Prokofiev.

Contacto

AGENCIAMENTO

Europa, exceto Portugal e Reino Unido:
Massa Konzertmanagement GmbH
Friedrichstraße 23 A, D-10969 Berlin
E-mail: info(a)massakonzerte.de
Tel.: +49 (0) 30 7024 3055

Reino Unido, Australia e Nova Zelândia:
Waever Artist Management
PO Box 7670 St. Kilda Road, Melbourne Australia 3004
E-mail: jeffweaver(a)weaverartistmanagement.com.au
Tel.: +61 (0)403 37 99 37